EIS A MARCA DE UMA NOVA ESPERANÇA!

EIS A MARCA DE UMA NOVA ESPERANÇA!
VIVA MARANHÃO!

sexta-feira, 13 de março de 2015

Parcerias entre Estado e prefeituras são concretizadas durante Mutirão ‘Mais IDH’

Serviços oferecidos através do Mutirão ‘Mais IDH’ beneficiaram moradores de 
São Raimundo do Doca Bezerra e São Roberto

Percorrendo nove dos 30 municípios com os piores Índices de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do Maranhão, o primeiro ciclo do Mutirão ‘Mais IDH’ está firmando parcerias entre o Estado e as administrações municipais, modelo de gestão defendido pelo governador Flávio Dino desde o período de campanha e concretizado no primeiro ano de governo. Este é o caso de São Raimundo do Doca Bezerra e São Roberto, localizados na região central do estado e emancipados em 1997.

Os dois municípios receberam a unidade móvel de atendimento do Viva Cidadão, para emissão de carteiras de trabalho, cadastro de pessoa física, carteira de trabalho e alistamento militar. Os municípios nunca haviam recebido ações de cidadania e saúde promovidas pelo Estado.

“Se o caminhão não viesse aqui eu teria que dar um jeito de me deslocar para outra cidade para fazer o meu alistamento”, comentou o estudante Lucas Costa Bispo, 17 anos, que mora em São Raimundo do Doca Bezerra.

No município de São Roberto, o lavrador Domingos Nonato Ribeiro, 62 anos, procurou os serviços do mutirão para corrigir um erro em sua carteira de identidade, emitida em 1973. Ele ainda não havia feito a alteração porque para isso teria que sair de sua cidade e gastar muito dinheiro.

“Isso já tava errado há muito tempo, mas nunca tinha ido corrigir, porque para isso ia precisar ir a Pedreiras ou Presidente Dutra, aí o gasto ia ser demais com a viagem. Agora tendo esse serviço bem aqui na porta da gente é muito mais fácil. É uma grande força”, explicou.

Em São Raimundo do Doca Bezerra, durante os dias do Mutirão ‘Mais IDH’ a escola municipal estava realizando uma série de serviços de saúde. Estão sendo oferecidos testes rápidos de HIV e hepatite B e C, consultas médicas e de enfermagem, exames periódicos de ginecologia, assistência social, aferição de pressão, teste de glicemia, além de auxílio de nutrição.

A dona de casa Maria Rodrigues da Silva, de 49 anos, aproveitou a oportunidade para fazer aferição de pressão e teste de glicemia. “Nunca tinha visto esse tipo de coisa aqui não. É muito bom ver o Governo do Estado aqui perto da gente ajudando dessa forma”, destacou.

Neta da dona Maria, Gabriela da Silva, 10 anos, foi acompanhar a avô e também aproveitou para receber orientações de saúde bucal e se vacinar. “Estou achando isso aqui muito bom. Aprendi direitinho a escovar meus dentes”, relatou Gabriela.

As ações do Mutirão ‘Mais IDH’ tiveram início na última segunda-feira (9) e seguem até a próxima sexta-feira (20).

Pesquisa

Durante o mutirão, os jovens dos municípios com piores Índices de Desenvolvimento Humano Municipal do Maranhão estão tendo a oportunidade de responder um questionário elaborado pela equipe da Secretaria de Estado Extraordinária da Juventude. No questionário, os jovens têm a oportunidade de contar um pouco sobre as suas rotinas e também exporem as principais necessidades dos seus municípios.

“Os jovens do nosso município precisam de muitas coisas, por exemplo, uma quadra de esporte e cursos profissionalizantes. É muito bom poder ter esse espaço para mostrar as nossas necessidades”, opinou o estudante Esmeraldo Pereira de Carvalho Neto, 18 anos, morador de São Roberto.




 

Texto: Marcela Mendes
Fotos/ Nael Reis

COLUNA AR-15: Pedreiras – o que fazer (Parte II)

Pediram tanto e me convenceram. De fato o artigo passado precisa de uma continuação, pois algumas variáveis e outros agentes políticos deixaram de ser analisados. Disseram que a “lista do Janot” de Pedreiras ficou incompleta. Divirto-me. Mas é a necessidade da concisão do texto pela exiguidade do espaço nos órgãos de imprensa escrita que faz isso...

Retomemos, então, à análise da conjuntura política municipal atual. E comecemos então por algo muito eloquente e exageraLdo: a aparente natimorta pré-candidatura do nosso pároco. O trabalho social e pastoral desse homem é extraordinário e catapultou Pedreiras para todo o Brasil e para o mundo até. Tem carisma, poder de mobilização popular e popularidade enormes. É um pastor excepcional! Mas o que Pedreiras não sabia era que o Padre tem um passado de militância e exercício político. Ele já foi vereador e vice-prefeito em sua cidade natal na Paraíba - a bela Taperoá, na região da Borborema (a serra, que de tão alta e extensa, os estudiosos culpam de impedir a entrada das nuvens de chuva para o sertão; portanto, responsável pela seca nordestina.). E que o reverendo tem apenas 03 anos de ordenado Padre e exercício do ministério sacerdotal. Então o vigário já é político calejado.

Pois é. Pedreiras não sabia que o padre entende e gosta dos 02 ofícios: o da batina e o da política. E só podia partir de mentes mal intencionadas botar na cabeça do Padre a perspectiva de ser prefeito de Pedreiras. Com certeza querem se aproveitar de sua popularidade para manipulá-lo, serem candidatos a vice, ou até pior: os incomodados com sua pastoral esplêndida podem querer com isso fazer gerar uma situação constrangedora para ele ou para a Igreja com o objetivo de tirá-lo de Pedreiras. Jogo muito arriscado esse. Sofisma puro! Pedreiras não precisa passar por mais essa aventura! Ser bom pastor não significa que será bom político ou excelente prefeito. E entendo que ganhamos mais com ele como pastor do que como político militante. Creio ser ele bem inteligente para não morder essa isca de satã e não cair nesse “canto de sereia”.

E dos outros quadros políticos aspirantes à prefeitura temos uma novidade: Dr Humberto Feitosa; além dos já declarados Simplício Araújo ou Marcílio Ximenes ou Klebinho Branco por um grupo, com Simplício já quase definido; e o candidato dos empresários, Jacinto Gonçalves, que parece não mais muito estimulado à disputa. Tem ainda o vereador Antonio França que se articula para o pleito como cabeça de chapa. E a conjectura de Ivaldo Lima e Valdirene Silva (esposa do ex-prefeito Lenoílson Passos) que são lembrados como candidatos como opção à inelegibilidade de Lenoílson. E comenta-se ainda uma possível e estranha aliança: Totonho ir para a reeleição com Valdirene de vice ou a Primeira-Dama Íris Chicote com Valdirene na desistência de Totonho à própria reeleição. A entrada do médico Humberto Feitosa no páreo, possivelmente pelo PSB de Paulo César, turbinados por Eliud Santos, Ribamar Sousa, Emanuel Nascimento e outros, se justifica, segundo me confidenciou dizendo-se bem decidido e motivado, pela indignação com a atual realidade político-administrativa do município e pela forma anacrônica de se fazer política em Pedreiras. Dr, Wálber até agora não se pronunciou sobre sua pretensão no pleito e deve acompanhar a posição política de seu cunhado Jacinto. 

E a vice-prefeita? O que ela pensa disso tudo? Ela esteve na cidade por ocasião do Dia Internacional da Mulher. Conversei com ela. A posição dela é de estar à disposição do povo de Pedreiras sempre e para servir-nos, mas se nega a participar, apoiar ou fomentar qualquer movimento que vise expulsar o prefeito de seu posto para que ela assuma. Não quer ser vista como abutre disputando a carniça. E entendo sua atitude como corretíssima. Fátima ainda se recupera emocionalmente da traumática separação conjugal de Louro, de quem é desafeta figadal. E está ótima de saúde física e mental. É carismática e tem muito apelo popular junto aos mais humildes em Pedreiras e na comunidade católica.

Serapião Louro surpreendeu de novo positivamente. Esperavam um traque daquilo que ele ameaçou divulgar como dinamite. Pois ele soltou mesmo foi uma bomba e de alto poder destrutivo contra Totonho na última sessão da Câmara. Foi corajoso e competente ao divulgar a falcatrua. Só o que ele divulgou, se bem usado pelo Legislativo, já afasta Totonho com uma Comissão Parlamentar Processante-CPP. Basta os vereadores quererem e saberem fazer seu ofício direitinho.

Robson Rios se defendeu do que denunciei de sua situação desconfortável jogando que a obrigação de fiscalizar não é só dele. E lembrou a situação da edil Cláudia Alencar e seu irmão Rogério Medeiros, Secretário de Saúde. Sim. Tem também Filemon Neto e seu pai como um dos azes do Executivo, como teve Serapião com seu irmão Marcus secretário outrora. Mas nenhuma dessas situações se compara em gravidade à do Presidente.

E os vereadores se mobilizaram. Além da nitroglicerina jogada por Serapião, que comprovou desvios de milhões em obras pagas e não realizadas, o plenário da Câmara já convocou o ex e o atual Secretário de Obras, Júnior Bernardo e Totinho Sampaio, respectivamente, para se explicarem sobre a denúncia do periquito. Elcinho Gírio convocou o povo às ruas para pedir o afastamento do prefeito e foi firme em sua declaração de oposição resoluta e irreversível. Os demais vereadores estão se articulando para todos darem uma resposta positiva à população.

É o que Pedreiras espera de seus representantes: que cumpram seu papel de fiscais do povo e justiceiros da esperança popular.

A desagregação no grupo político do prefeito é tamanha que o pronunciamento de Elcinho Gírio fez o prefeito amanhecer na casa do vereador implorando paz com ofertas tentadoras. E o vereador Elias Bento foi assediado com uma proposta financeira tentadora pelo governo para que se bandeie de lado. 

Simplício Araújo demonstra prestígio destacado no governo estadual. Emplacou 04 indicações suas na Regional de Pedreiras e todos com gabarito para os cargos técnicos que ocuparão. Todos esses postos eram do ex-deputado RLouro. Parabéns ao ex-deputado federal hoje Secretário Estadual. Parabéns pelo prestígio e pela sábia escolha dos quadros políticos para os cargos. Gustavo Brandão-Saúde, David Ximenes-CIRETRAN, Geovane Duarte-AGERP e Major Maurício-PM-Comandante, todos são queridos e reconhecidos como dignos pessoal, técnica e politicamente para seus postos. Congratulações e boa sorte aos recém-nomeados!

E vamos nós todos arregaçar as mangas e fazer “UMA NOVA POLÍTICA PARA PEDREIRAS” e um “PROJETO POLÍTICO PARA A CIDADE”! Isso e o principal!!!

Allan Roberto Costa Silva, médico, ex-Vereador-Presidente da Câmara Municipal de Pedreiras, membro da Associação dos Poetas e Escritores de Pedreiras-APOESP e da Academia Pedreirense de Letras-APL. E-mail arcs.rob@hotmail,com

quinta-feira, 12 de março de 2015

Vara do Trabalho de Pedreiras Participa da Semana Nacional da Conciliação


Semana Nacional da Conciliação conta com a participação de toda a Justiça do Trabalho

Quase 900 mil conciliações foram realizadas na Justiça do Trabalho em 2014. Nos 24 Tribunais Regionais do Trabalho e Varas do Trabalho acontecem conciliações durante todo o ano, realizadas nas audiências. A conciliação é sempre um objetivo central nos processos trabalhistas.

Em Pernambuco, foram conciliados quase 80 mil processos nos dois últimos anos. Em 2013, foram conciliados 40.560 processos, consideradas as fases de conhecimento e execução. Em 2014, o número de conciliações foi de 37.497 nas duas fases.

O Estado de São Paulo realizou o maior numero de conciliações (134 mil processos conciliados), mas, percentualmente, tem a maior população brasileira e o maior número de magistrados trabalhistas do País.

Os acordos realizados pela Justiça do Trabalho do Ceará em 2014 renderam R$ 77 milhões aos trabalhadores.

No judiciário trabalhista do Paraná, no ano de 2014, sete em cada dez novos processos trabalhistas foram resolvidos pela conciliação.

Tribunais

Cada regional determinou seu período de inscrições e adotou uma maneira específica para as inscrições. Em vários Estados, os agendamentos estão sendo realizados através de formulário eletrônico ou na vara trabalhista.

Na Vara do Trabalho de Pedreiras (MA), por exemplo, o usuário pode agendar pessoalmente, pelo e-mail vtpedreiras@trt16.jus.br, através do Plantão da Conciliação, disponibilizado no site do TRT do Maranhão ou até pelo Facebook da Vara do Trabalho.

Para entender

Os processos trabalhistas são separados em fases processuais, como conhecimento e execução. A execução é a finalização do processo. Este também pode terminar na primeira fase, através da conciliação, na audiência.

As unidades da JT de 1º grau contemplam as Varas do Trabalho e Postos Avançados, onde se inicia a maior parte das ações trabalhistas. Todas as fases envolvendo a discussão do Direito, a defesa, a produção de provas, o julgamento e, posteriormente, o cumprimento das decisões, até o final do processo, geralmente ocorrem no 1ª grau. Em todas as audiências trabalhistas o juiz envida esforços para que as partes se conciliem.

Nos Tribunais Regionais (2º Grau), há predominantemente o julgamento dos recursos interpostos das decisões efetuadas pelas unidades de 1º grau. Nesse aspecto, o 2º Grau atua como instância revisora, cumprindo uma previsão constitucional de assegurar o direito da parte vencida de recorrer da decisão. Nos Tribunais Regionais também existem as ações originárias, cuja tramitação e julgamento são realizados em 2º grau.

NOTA DE PESAR



Prefeitura de Trizidela do Vale, por meio do prefeito Fred Maia, lamenta o falecimento de Antônio Nildo Almeida Lima, no final da tarde desta quarta-feira (11), em decorrência de choque elétrico.

Nildo, era funcionário da prefeitura municipal, trabalhava como pedreiro e é irmão do atual chefe de Departamento de Iluminação da cidade, Nildimar.

Em sinal de um profundo respeito pelos familiares e amigos, o gestor municipal emite essa nota de grande pesar. E em nome de toda a equipe do Governo e de toda Trizidela do Vale, manifestamos o mais profundo sentimento de solidariedade pela morte de Nildo, cuja passagem espiritual nos deixa profundamente triste.

Que Deus lhe dê abrigo e traga conforto para família.

Nossos mais sinceros sentimentos,


Fred Maia e família
Prefeito Municipal de Trizidela do Vale

domingo, 8 de março de 2015

VINICIUS LOURO PARTICIPA DE LANÇAMENTO DO MUTIRÃO IDH DE FLÁVIO DINO



Vinicius Louro Acompanha Governador Flávio Dino no Lançamento do Mutirão IDH em São Luís

O deputado estadual Vinicius Louro (PR) e Raimundo Louro estiveram na manhã desta sexta feira (06) na Passarela do Samba, Anel Viário. em São Luís para o lançamento do Mutirão IDH do governo Estado. 

Flávio Dino apresentou os caminhões da Casa da Cidadania que estarão presentes em nove dos 30 municípios já na próxima segunda-feira (09). Presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho, deputados estaduais estiveram presentes no início do mutirão, além de secretários de governo.

As dez secretarias e órgãos que compõem o Comitê Gestor do Plano Mais IDH organizaram a oferta de serviços que vão compor o ‘Mutirão Mais IDH’. Além das ações iniciais o governo prevê que até o fim do ano, programas como o ‘Escola Digna’ para superação de escolas de taipa ou de palha, ‘Força Estadual de Saúde, que reforçará a atenção básica e o ‘Programa de compras governamentais’ que reforçará a renda nos municípios que foram implantados.

Na ocasião, o governador assinou também Ordem de Serviço do projeto executivo da ponte Central-Bequimão.

“O mutirão trará ações de cidadania e possibilitará a comunidade exercer os direitos civis e sociais que permitirão uma melhor qualidade de vida a todos os maranhenses se estendendo aos serviços de saúde básica”, afirmou o governador.

Para o deputado Vinicius Louro o governador Flávio Dino em apenas três meses de gestão mostra toda a sua preocupação com a qualidade de vida do povo. “Parabenizo ao governador Flávio Dino pela nobre iniciativa e preocupação com o povo do Maranhão. Não tenho dúvidas que iniciativas como essa do Governo do Estado servirá para que com cooperação de todos possamos diminuir o alarmante IDH do nosso Estado.”, ressaltou o deputado Vinicius Louro.

Valtervi Passos - Ascom
 
Está semana a equipe MUTIRÃO IDH deve visitar 03 municípios da Regional de Pedreiras

OITO ANOS DE SANÇÃO DA LEI MARIA DA PENHA

Maria da Penha

Ricardo Costa Gonçalves[1]

A violência doméstica é causa de todas as violências. As vítimas não são unicamente as mulheres e crianças que sofrem reiteradamente, apanham, são estupradas e eventualmente são mortas. A vítima acaba sendo toda a sociedade. A violência doméstica reproduz e alimenta um aprendizado que geralmente não fica restrito às paredes do lar. Crianças, adolescentes e jovens que crescem nesse meio muitas vezes, respondem aos conflitos quotidianos e à necessidade de autoafirmação, tão típicos da juventude, usando a linguagem aprendida, da violência. Conforme Cerqueira et al (2015)[2], quando tais incidentes ocasionam uma morte, uma espiral de agressões e de vingança reciprocas envolvendo grupos de jovens gera inúmeras outras vítimas fatais, sendo que o rastro da origem de todos os problemas há muito foi apagado por uma sequência de eventos, tornando invisíveis para a sociedade as consequências do aprendizado da violência intrafamiliar.

Ainda de acordo com autor acima, a importância de se enfrentar a violência doméstica, no Brasil, a ideologia patriarcal, que define as relações de poder entre homens e mulheres na sociedade – e que permeia a cultura, as instituições e o próprio sistema de justiça criminal – tem constituído um forte obstáculo para os avanços em direção à garantia de igualdade de direitos para as mulheres. 

Apesar de a Constituição de 1988 ter igualado as funções familiares entre homens e mulheres, apenas em 1995 a Lei nº 9.520 revogou o Artigo 35 do Código de Processo Penal, que estabelecia que a mulher casada não poderia exercer o direito de queixa sem a autorização do marido, salvo quando fosse contra ele, ou que esta estivesse separada. Em 2000, a Lei nº 2.372, que propunha medidas protetivas para a mulher vítima de violência doméstica – com o afastamento do agressor da habitação – foi totalmente vetada pelo presidente da República. Até a sanção da Lei Maria da Penha (Lei no 11.340/2006), os incidentes de violência doméstica eram julgados segundo a Lei no 9.099/1995, ou seja, como crimes de menor potencial ofensivo, em que nenhuma medida protetiva era oferecida à vítima, ao passo que nos poucos casos em que o perpetrador era condenado, sua pena se reduzia ao pagamento de cestas básicas. 

A Lei Maria da Penha se constitui em um marco de amadurecimento democrático, pois contou na sua formulação com a participação ativa de organizações não governamentais feministas, Secretarias de Políticas para Mulheres, academia, operadores do direito e o Congresso Nacional.

Uma inovação importante da Lei Maria da Penha é que a mesma procurou tratar de forma integral o problema da violência doméstica, e não somente da imputação de uma maior pena para o agressor. A Lei ofereceu um conjunto de medidas para possibilitar a proteção e o acolhimento emergencial à vítima, isolando-o do agressor, ao mesmo tempo em que criou mecanismo para garantir a assistência social a ofendida. Também, previu os mecanismos para preservar os direitos patrimoniais e familiares da vítima; propôs arranjos para o aperfeiçoamento e efetividade do atendimento jurisdicional; e previu instâncias para tratamento do agressor.

A Lei Maria da Penha transformou o tratamento do Estado em relação aos casos envolvendo violência doméstica, a partir de três canais, pois: 1) aumentou o custo da pena para o agressor; 2) aumentou o empoderamento e as condições de segurança para que a vítima pudesse denunciar; e 3) aperfeiçoou os mecanismos jurisdicionais, possibilitando que o sistema de justiça criminal atendesse de forma mais efetiva os casos envolvendo violência doméstica. 

Esses três elementos, por sua vez, afetaram o comportamento de agressores e vítimas. Enquanto, potencialmente, as vítimas passaram a encontrar um ambiente de maior segurança, que lhes possibilitava denunciar a agressão sem receio de vingança, em face das medidas protetivas emergenciais, o sistema de justiça, a princípio, teria melhores condições para fazer aumentar a taxa de condenações para dado número de denúncias, uma vez que polícia, Ministério Público, Defensoria e Juizados Especiais se integraram com o enfoque de providenciar respostas mais efetivas ao problema da violência doméstica. Os dois últimos elementos conjuntamente contribuem para aumentar a probabilidade de condenação. Ou seja, em tese, é razoável supor que a Lei Maria da Penha contribuiu para fazer aumentar o custo esperado da punição, que se dá pelo aumento do custo da condenação, bem como do aumento da probabilidade de condenação. Por sua vez, o aumento desse custo esperado possui uma relação inversa com a probabilidade de um indivíduo agressivo perpetrar o crime (Cerqueira et al, 2015).

A sanção da Lei Maria da Penha foi um importante exemplo de amadurecimento democrático no Brasil, pois contou com a participação efetiva da sociedade na sua formulação. Além disso, a lei incorporou aspectos inovadores ao tratar de forma integral o problema da violência doméstica e ao considerar a necessidade de implantação de onze tipos de serviços e medias protetivas para garantir direitos e tentar levar a paz aos lares.


[1] Professor, mestrando em Politicas Públicas pela FPA.
[2] CERQUEIRA et al. Avaliando a efetividade da Lei Maria da Penha. Texto para discussão/Instituto de Pesquisa econômica Aplicada. - Brasília: Rio de Janeiro, 2015. 

sexta-feira, 6 de março de 2015

FALA, ZÉ GERALDO! REITOR DO SANTUÁRIO SÃO BENEDITO ESCLARECE POLÊMICA [VÍDEO]


Publicação by Pedras Verdes.

IMAGEM: MAXS RAMOM, Tribuna 101

COLUNA AR-15: PEDREIRAS, O QUE FAZER?

Imagem de aquivo/Pedras Verdes, do texto: O Encontro da Estrela com a Via Láctea, acesse!

A história e análise da conjuntura política municipal atual daria para escrever um livro. E dos melhores. E de estilo diverso conforme a visão, pretensão ou gosto do autor. Pode dar uma excelente comédia, um belo drama, uma saga quixotesca bem no estilo aventura, cheia de suspense e terror. Mas entendo mesmo a situação como trágico-cômica.

Senão vejamos: o desastre político e administrativo do governo se aprofunda - falta de habilidade para governar, as ingerências, a corrupção... tudo que presenciamos do caos que é o governo Totonho.... Isso é drama puro. Tragédia maldita. A posição política do clã Louro é a parte cômica. Humor puro. O papagaio diz que não rompeu com o prefeito, mas seus periquitos parlamentares romperam. É de dar gargalhadas. Esses meninos não têm autonomia política e jamais tomariam posição sem o aval do pai, por mais que Serapião nos surpreenda muito positivamente no exercício de seu mandato. Essa deles é querer subestimar a inteligência das pessoas.

Além disso, ainda vem o papagaio bater boca com o Secretário de Obras do governo. Sendo a maior liderança política regional, Louro se apequena quando se dedica a discussão com o ex-motorista do prefeito; e agiganta o secretário. Como sempre o papagaio age como “tambaqui de pesque e pague” – morde e é fisgado por qualquer isca que se jogue para ele. Não vê que quem foi deputado até 40 dias atrás e elegeu o filho para o mesmo posto contra tudo e todos, demonstrando um poder político excepcional, atrofia-se politicamente e rebaixa-se pessoalmente numa discussão boba dessas com quem ele diz apenas ter como lastro ser ex-chofer do alcaide, sem cacife político algum comparado ao ex-deputado e que nem vereador conseguiu eleger-se na eleição que Louro elegeu os 02 filhos vereadores e 01 filho e a à época esposa vice-prefeitos. Faltaram sabedoria e assessoria ao velho papagaio, marechal de tantas guerras, de brilhantes vitórias e honrosas derrotas.

E ainda temos as oposições divididas e de qualidades diferentes. A de Simplício Araújo e Klebinho Branco é a oposição do “quanto pior, melhor”. Não querem afastar Totonho do poder por mais crimes que esse cometa na gestão pública. Querem que ele se desgaste cada vez mais, caia de podre, pois assim fica mais fácil eles ganharem a eleição. Mandaram notícias dos crimes do governo para a produção do Fantástico da Rede Globo, mas judicialmente desconheço ação deles para punir o prefeito. É só bater e bater para desgastar mais e mais o prefeito sem medidas que o coíbam de maltratar mais a cidade e nosso povo. Essa oposição eu acho temerária e covarde com a população. Poderia ser denominada de “oposição irresponsável”, pois não pensa no bem popular, mas nas vantagens políticas que vislumbram eleitoralmente nas próximas eleições.

A outra oposição é a dos vereadores que já eram adversários que agora se juntam aos edis periquitos e a Elcinho Gírio. Essa poderia chamar-se de “oposição hipócrita”. Querem investigar, processar e até afastar o prefeito, mas não querem investigar a área de saúde do governo para não atingir o periquito ex-Secretário de Saúde agora no exercício do mandato de vereador. Ora bolas!!! Crime é crime. E se é para culpar e punir o prefeito que o seja com todos os seus cúmplices em todas as áreas da gestão caótica que ele executa. Por que poupar o ex-Secretário de Saúde se esse cometeu ingerências várias e acolitou o prefeito em suas maracutaias? E olha que parece que não só acolitou! Diz o governo que dispõe de provas de prevaricação solo do “vereador anti-zap-zap” e vai usar disso quando lhe for conveniente.

Dentro dessa balbúrdia toda, as instituições e as lideranças políticas esquecem-se de ver que o Presidente da Câmara está incompatível para o exercício do cargo desde o momento em que sua esposa, grande pessoa e excelente técnica, foi nomeada Secretária de Educação. Se o vereador, especialmente o Chefe do Legislativo, tem a obrigação constitucional de fiscalizar o Executivo, como e com que isenção o Presidente cumprirá sua principal missão se a esposa é expoente do Executivo e ordenadora de despesas? Ou Robson Rios é Presidente da Câmara ou sua esposa é Secretária de Educação! É a lógica!!! A sede de poder do Presidente é tamanha que ele se expõe a situações esdrúxulas como essas, sem falar na absurda, torpe, irregular e ilegal forma com que esse se reelegeu. Algo que o Ministério Público deveria investigar, pois transcende ao mero ato interna corporis somente.

Não sou dono da verdade. Apenas gosto e entendo de política e a pratico desde a adolescência. Nem tenho o condão da santidade pessoal ou política. Apenas como cidadão e ser político expresso minha opinião usando da liberdade de expressão que a Constituição Federal me garante. Mas acho que Pedreiras passa por uma crise política sem precedentes. Ao meu entendimento, a situação vai do grave descalabro político-administrativo até a uma profunda crise institucional com essa situação da falta de independência entre o Executivo e o Legislativo pela situação de incompatibilidade do Presidente. O Executivo tem cativo o Chefe do Legislativo, e simbolicamente todo esse Poder, pelo cargo de sua esposa; e isso é institucionalmente crítico. E há aqui um enorme paradoxo: o governo já não dispõe de maioria parlamentar na Câmara. É de pasmar: até o Líder do Governo, vereador Elcinho Gírio, rompeu com o governo! E a oposição já é maioria para fazer o que quiser na Câmara já que dispõe de mais de dois terços dos parlamentares. O Presidente amarrado e a maioria livre sem saber o que fazer e nem do poder que tem... Trágico. E cômico.

Acho que o momento é de reflexão do que fazer e como proceder. Entendo que devemos unir todas essas forças e fazer um esforço acima das questões pessoais e convencer o prefeito de que ele não tem mais condições morais, legais, políticas nem administrativas de permanecer à frente dessa gestão. Ele deve renunciar. E isso é até saudável para ele politicamente porque sai do foco e escapa do grave risco que está correndo de sair a qualquer momento da prefeitura algemado e num camburão de polícia; o que seria triste para ele, que não é uma má pessoa, e traumático para a nossa cidade e nossa história.

A partir da saída do prefeito de cena, se faria uma espécie de frente de união total em torno do governo da prefeita que assumiria e uniríamos todos os esforços para tirarmos Pedreiras dessa tragédia em que está mergulhada. Parece utópico, onírico, o que proponho? Sim, parece! Mas seria possível se nossas lideranças e agentes políticos tivessem compromisso primeiro com a coletividade e não com seus projetos pessoais prioritariamente!

Precisamos de uma “Nova Política para Pedreiras”, como venho defendendo. Ou melhor e maior até: um “Projeto Político para Pedreiras”, pois o que vemos são muitos projetos políticos pessoais somente ou de grupinhos. E se o Projeto é PARA A CIDADE independe de personalismos e não se atrela à imagem ou necessidade de um líder “salvador da pátria”. E é a nossa elite pensante quem deve elaborar esse Projeto tendo como premissa maior nosso povo e o resgate de nossa cidade do abismo em que se encontra. Avante e mãos à obra os que amam essa terra!!!

Allan Roberto Costa Silva, médico, ex-Vereador-Presidente da Câmara Municipal de Pedreiras, membro da Associação dos Poetas e Escritores de Pedreiras-APOESP e da Academia Pedreirense de Letras-APL. E-mail: arcs.rob@hotmail.com

quarta-feira, 4 de março de 2015

DENUNCIA? AI, MEUS LOUROS! SERÁ SE ESTÃO FICANDO BRANCO?


Vereador Serapião Louro dispara contra o prefeito Totonho Chicote

“Na próxima sessão da câmara, irei trazer ao conhecimento do público uma denúncia histórica do desvio de verbas na prefeitura de Pedreiras”, disse o vereador

O anúncio foi feito no fim da sessão da câmara municipal de Pedreiras na última segunda (3), segundo o vereador há uma série de denúncias contra a atual administração de Pedreiras sendo apuradas, irregularidades administrativas, desvio de recursos e mau uso da máquina pública.

Serapião Louro informou ainda que na próxima sessão da câmara marcada para a próxima segunda feira 9 de março trará a tona essas denúncias que estão em fase de conclusão das apurações.

Conclamo a população a se fazer presente na próxima sessão, quero que a população saiba o que está sendo feito pela atual gestão da cidade de Pedreiras. Estou cumprindo meu papel de vereador, fiscalizar o dinheiro público. Será uma das maiores denúncias da história de Pedreiras”, afirmou o vereador Serapião Louro.

Informações : Valtervi Passos

terça-feira, 3 de março de 2015

FAESF: TROTE SOLIDÁRIO LEVA AJUDA A QUEM PRECISA


Os alunos do primeiro período de Ciências Contábeis da Faculdade de Educação São Francisco - FAESF, fizeram no domingo, 01/03, entrega de cestas básicas no bairro Matadouro, em Pedreiras. A ideia desenvolvida pelos alunos do terceiro período,  consiste em abrir o olhar dos novos acadêmicos voltado-os para área social, assim lançando um olhar para o próximo.

Em muitas faculdades pelo Brasil , o trote é uma forma de humilhação aos novos acadêmicos. A FAESF apoiou o projeto dos alunos que visam apenas ajudar.

Em Pedreiras, existem muitos bairros que necessitam de ajuda. Ajudar um irmão é estar fazendo o que Deus pregou.

O diretório acadêmico parabeniza as turmas que desenvolveram o projeto. 




Informações: 

Igor Parga
Coordenador de Imprensa do Diretório acadêmico de ciências contábeis - FAESF